Flash Player needed to visualize correctly this site.
Click here for more information.

Projectos em Execução

Desenvolvimento do Produto Turístico Cultural - O Carnaval dos Açores


assinatura

A presente candidatura apresenta um conjunto de ações que pretendem contribuir para a organização e estruturação da oferta de um subproduto cultural com um elevado potencial para captação de fluxos turísticos para os Açores. Enquadrado no património imaterial dos Açores, o Carnaval é um acontecimento com uma forte expressão em algumas ilhas dos Açores, com especial incidência na ilha Terceira, seguindo-se a Graciosa e São Miguel. Para além disso, a altura do ano em que se celebra o Carnaval coincide com o período em que se verifica uma das menores taxas de ocupação das camas da hotelaria dos Açores, podendo este subproduto cultural dar um forte contributo para contrariar esses números, tendo em conta que é também um período de férias escolares o que predispõe famílias e académicos a viajar nesta altura do ano.

A candidatura Desenvolvimento do Produto Turístico Cultural – O Carnaval nos Açores engloba um projeto considerado de grande relevância estratégica para o sector do turismo na RAA, indicado como um dos principais sectores na RIS3. Deste modo é importante para os Açores pegar nas suas tradições e caraterísticas endógenas e trabalha-las no sentido de se criar diferenciação dos restantes destinos concorrentes, criar diversificação da oferta, bem como inovar apresentando novos produtos a oferecer como forma de manter o interesse e desejo pelo destino. É neste sentido que a ART pretende atuar, promovendo e divulgando o Carnaval para fins relacionados com a atividade de turismo.

Objetivo Principal:
  • Reforçar a Capacitação Empresarial Visando a Abertura das Empresas Regionais aos Mercados Exteriores.
Objetivos Gerais:
  • Criar ferramentas de trabalho e de apoio à criação de novos produtos turísticos endógenos;
  • Contribuir para o aumento dos serviços em animação turística;
  • Contribuir para a ocupação do tempo dos turistas e consequente aumento da sua média de permanência;
  • Contribuir para a valorização do património cultural;
  • Registar para memória futura as tradições e histórias seculares da região;
  • Desenvolver produto turístico na vertente do turismo cultural;
  • Promover os vários serviços relacionados com o sector do turismo, nomeadamente, turismo de habitação, restauração e animação turística;
  • Disponibilizar suportes de apoio aos turistas para planearem a sua estada, bem como para facilitar a movimentação dentro das ilhas onde se encontram.
Objetivos Específicos:
  • Potenciar o Carnaval como uma motivação de viagem aos Açores em período de época baixa;
  • Promover a RAA através da literatura e das artes audiovisuais, junto do principal mercado emissor, o mercado nacional, bem como junto da diáspora;
  • Contribuir para o aumento do número de dormidas e da estada média na Região;
  • Promover os princípios de Turismo Responsável e Turismo Sustentável, com a aproximação dos turistas às populações locais;
  • Estruturar produto para permitir aos operadores locais e outras empresas do setor a criação de oferta de novos serviços.

Tendo a presente candidatura grande parte da incidência das suas ações na ilha Terceira e de acordo com dados recolhidos junto das Casas de Povo e Sociedades Recreativas da Ilha Terceira bem como por outras entidades que organizam o Carnaval na ilha Terceira, uma vez que o Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) carece de dados sobre a temática do Carnaval na Ilha Terceira, e no caso, sobre o número de dormidas de estrangeiros nessa altura do ano, a ART, com a execução das ações a que se propõe, espera poder contribuir no conjunto dos 3 anos para cerca de 31.500 dormidas, atendendo a que o Carnaval da Terceira recebe cerca de 2000 pessoas do estrangeiro, sobretudo oriundos das comunidades emigradas nos EUA e no Canadá. O tempo médio de permanência é de cerca de 1 semana, já que as ligações aéreas entre a Ilha e os territórios supramencionados, são de caráter semanal. A tendência dos últimos anos, indica-nos que cerca de 1.500 pessoas optam por ficar na hotelaria local ao invés da casa dos seus familiares. Tal acontece por que as famílias emigradas são numerosas, ou então, simplesmente porque trata-se de uma geração de emigrantes que já possui outra mentalidade e poder económico, que lhe permite optar por tal situação. 31.500 dormidas parece-nos ser um número bem razoável, atendendo a que no pior dos cenários, não se registe qualquer evolução ou se registe uma evolução pouco expressiva do número de dormidas, já que o fenómeno nos últimos anos tem se estendido às ilhas de São Miguel e da Graciosa, assim como se tem verificado uma certa apetência por parte de artistas pelo teatro popular do Carnaval – estes últimos oriundos sobretudo da Europa Ocidental.


Código do projeto:
ACORES-03-0752-FEDER-000013

Custo Total Elegível:

373.380,65€


Comparticipação FEDER:

317.373,54€





Quiosques de Turismo




Recommend this site to a friend Copyright © Via Oceânica 2008 - Todos os direitos reservados